Theatro São Pedro celebra aniversário de São Paulo com três grandes concertos

A  temporada  2013 da  Jazz  Sinfônica,  Banda  Sinfônica  e  Orquestra  do Theatro São Pedro, corpos artísticos da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, vai começar com uma programação especial e festiva. No próximo dia 25 de janeiro, os três grupos fazem apresentações no Theatro São Pedro para celebrar o aniversário da cidade.

O primeiro concerto será da Banda Sinfônica do Estado, às 11h, sob a regência do maestro Marcos Sadao Shirakawa, com a apresentação de composições clássicas do repertório para Banda, como as marchas “Commando March”, de Samuel Barber (1910-1981), “Marcha Militar Francesa”, de Camille Saint-Saëns (1835-1921) e “Marcha das Metamorfoses Sinfônicas”, de Paul Hindemith (1895-1863). O programa contempla ainda peças inusitadas, como a “Marcha Imperial da Trilogia Star Wars”, de John Williams (1932), tema do vilão Darth Vader.

Na parte da tarde, às 17h, a Jazz Sinfônica sobe ao palco sob a regência do maestro Fábio Prado. A orquestra, que tem por principal característica dar um tratamento sinfônico a obras do repertório popular, vai apresentar um programa voltado para a música nordestina. “Lamento Sertanejo”, de Gilberto Gil e Dominguinhos, e “Feira de Mangaio”, de Sivuca e Glória Gadelha, abrem o programa com arranjo do próprio maestro Fábio Prado.  Na sequência, “Gonzagueana”, fantasia sobre temas de Luiz Gonzaga, composta pelo maestro Cyro Pereira (1929-2011), “Asa Branca” e “Só Xote” dão o tom da apresentação.

Encerrando a programação, a Orquestra do Theatro São Pedro se apresenta às 20h, sob a regência do maestro Emiliano Patarra. Os anfitriões prepararam um programa voltado aos temas operísticos, iniciando com a consagrada abertura de “Carmen”, de Georges Bizet, (1838 – 1875).  O programa contempla ainda composições de Mozart, Manuel de Falla, Astor Piazzolla e Tchaikovsky. Todos os concertos tem entrada gratuita.

SOBRE A JAZZ SINFÔNICA

Desde sua criação, em 1990, pela Secretaria de Estado da Cultura, a Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo se propõe a dar um tratamento sinfônico à música popular brasileira e universal. Sua formação é bastante singular, pois une a orquestra nos moldes eruditos a uma big band de jazz, produzindo uma sonoridade ímpar. Esta característica tem lhe conferido protagonismo na criação de uma nova estética orquestral brasileira.

Quem teve a primazia de transpor as melodias populares de compositores como Luiz Gonzaga, Tom Jobim ou Pixinguinha para a grandiosidade do som sinfônico foi Cyro Pereira, o grande maestro dos Festivais da Record da década de 60 e fundador da orquestra. Ele criou o repertório fundamental da orquestra.

Depois dele, a Jazz Sinfônica formou uma equipe de orquestradores de excelência, que trabalham diariamente para a formação do seu repertório. A lista de músicos brasileiros e internacionais que já dividiram o palco com a Jazz Sinfônica é imensa: Tom Jobim, Gal Costa, João Bosco, Diane Schuur, Dee Dee Bridgewater, Paquito D’Rivera,  entre muitos outros.

O diretor artístico e regente titular da Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo é João Maurício Galindo e Fábio Prado é seu regente adjunto. Desde janeiro de 2012, a orquestra é administrada pela Organização Social de Cultura Instituto Pensarte.

SOBRE O MAESTRO FÁBIO PRADO

Fábio Prado iniciou seus estudos musicais em 1980 estudando trompa com o professor Mario Sérgio Rocha. Desde então, desenvolveu uma larga experiência orquestral, tendo tocado nas principais orquestras brasileiras, com destaque para a Orquestra Sinfônica de Campinas (1984 – 1987), Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (1988 – 1997) e Orquestra Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo (1997 – 2005). Ganhou prêmios nos concursos jovens solistas das OSESP, OSPA e OSJMSP. Foi solista das Orquestras do Estado de São Paulo, de Campinas e Jazz Sinfônica.

Em 1998, começou a estudar regência. No final deste ano, estreia como maestro convidado à frente das orquestras Jazz Sinfônica e Sinfonia Cultura. Desde 2001, tem produzido diversos arranjos para a Jazz Sinfônica e outras orquestras. Em 2005, foi maestro assistente da Orquestra Filarmônica de São Bernardo do Campo, além de tornar-se maestro adjunto da Orquestra Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo, cargo que ocupa até hoje.

Em 2010, fez sua estreia internacional, com concertos na Argentina e na Itália, recebendo críticas como a de Adriana De Serio, que escreveu: “Prado revelou um gestual essencial e incisivo, síntese de um refinado background cultural e de uma profunda sensibilidade artística.” Também neste ano rege Bixiga – Um Musical na Contramão, e por esta participação é indicado ao Prêmio Shell de Teatro 2010 e ao 3º Prêmio da Cooperativa Paulista de Teatro, ambos na categoria Música.

SOBRE A BANDA SINFÔNICA

Criada em 1989 pela Secretaria de Estado da Cultura, a Banda Sinfônica do Estado de São Paulo é considerada um dos principais grupos sinfônicos do país tendo, em 1997, conquistado reconhecimento internacional ao participar da 8ª Conferência da WASBE (World Association for Symphonic Bands and Ensembles), na Áustria.

Além do repertório original e de transcrições de obras consagradas, a Banda Sinfônica tem a preocupação de executar música genuinamente brasileira e estimular a criação de novas obras para essa formação instrumental. Parte deste trabalho está registrada nos CDs “Suíte Tropical” (2003) e “Fantasia Amazônica” (2004).

Composta por 82 instrumentistas, tem direção artística e regência titular do maestro Marcos Sadao Shirakawa e está sob a gestão da Organização Social de Cultura Instituto Pensarte.

SOBRE MARCOS SADAO SHIRAKAWA 

Bacharel em Trombone pelo Departamento de Música da ECA-USP, estudou teoria e instrumento no Conservatório Dramático e Musical de São Paulo e no Conservatório Musical Brooklin Paulista.

Primeiro trombone da Banda Sinfônica do Estado de São Paulo, integrou a Orquestra Experimental de Repertório e Orquestra Sinfônica de Santo André e participou de vários Festivais de Música no Brasil (Campos do Jordão, Tatuí, Prados), na Argentina e Áustria.

Estudou regência com o maestro Carlos Moreno, e, em 2005, atuou como Regente Convidado da I Conferência de Bandas Sinfônicas da África do Sul. Foi Regente Assistente da Banda Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo no período de 2000 a 2009.

Atualmente é Regente Titular da Banda Sinfônica do Estado de São Paulo e Regente da Banda Sinfônica de Cubatão. É também professor de Trombone e Música de Câmara na EMESP Tom Jobim e Diretor do Programa BEC (Banda Escola de Cubatão).

SOBRE A ORQUETRA DO THEATRO SÃO PEDRO

A Orquestra do Theatro São Pedro (Orthesp) foi criada em 2010 para ser o corpo musical exclusivo do teatro e referência em ópera e música lírica em São Paulo.

Os responsáveis por toda a concepção da Orquestra foram os regentes Roberto Duarte, com ampla experiência internacional, e Emiliano Patarra, que vem acompanhando a trajetória do Theatro São Pedro desde 2003.

Com 54 músicos, a Orthesp tem como regente titular o maestro Emiliano Patarra e como regente adjunto Carlos Morejano.

Desde 2012 ela está sob a gestão da Organização Social de Cultura Instituto Pensarte.

SOBRE EMILIANO PATARRA 

Regente titular da Orquestra do Theatro São Pedro, diretor artístico e fundador da Orquestra Jovem Municipal de Guarulhos e professor de regência em duas das maiores faculdades de música do país, FASM e FAAM, Emiliano Patarra se especializou em ópera e foi responsável pela montagem de uma grande quantidade de espetáculos líricos nos últimos anos.

Formou-se em regência pela FASM sob a orientação do maestro Roberto Duarte e aperfeiçoou-se no Teatro Colón de Buenos Aires com o maestro Guillermo Scarabino, com bolsa da Fundação Vitae, e com o maestro Luís Gorelik e a Orquestra Sinfônica de Concepción, no Chile.

Iniciou a carreira de regente como assistente da Orquestra Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo, onde atuava como spalla do naipe de violas. Foi, por sete anos, regente assistente e coordenador artístico da Orquestra Sinfônica Municipal de Santos, fundador e diretor musical do Núcleo de Ópera da FASM e produtor executivo do Festival Música Nova entre 2003 e 2008, além de diretor musical deste evento, em 2009.

Com grande atuação no ensino de cordas coletivas, Emiliano comandou a criação de novas orquestras de cordas e difundiu o ensino como forma de inclusão social. Trabalhou por cinco anos no SESC/SP lecionando violino e viola e dirigindo a Orquestra de Cordas. Também durante cinco anos, foi supervisor pedagógico e professor do Projeto Guri – anos depois, em 2008, foi coordenador pedagógico de cordas e canto do Novo Projeto Guri-Santa Marcelina e Coordenador Pedagógico da Tom Jobim – Escola de Música do Estado de São Paulo.

 

Serviço:

Theatro São Pedro

Rua Albuquerque Lins, 207

Metrô Marechal Deodoro – SP

Telefone: (11) 3667-0499

636 lugares

Entrada franca

Classificação: 08 anos

 

 

Sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Banda Sinfônica do Estado – 11h

Jazz Sinfônica do Estado – 17h

Orquestra do Theatro São Pedro – 20h

 

 

Informações à imprensa:

 

Secretaria de Estado da Cultura

Amanda Sena – (11) 2627-8169 – asena@sp.gov.br

Renata Beltrão – (11) 2627-8164 – rmbeltra@sp.gov.br